Em Lisboa, uma biblioteca em cada esquina

Em Lisboa, uma biblioteca em cada esquina

Reveal Writers

Em Lisboa, capital na moda que faz e acontece, passam muitas vezes despercebidas as bibliotecas, inúmeros refúgios espalhados pelos bairros numa rede que conta hoje com mais de 15 espaços em estreita conexão. Fazias ideia de que eram tantas? Pois, até há bem pouco tempo também eu não.

Da Biblioteca Camões ali para os lados do Chiado à Biblioteca dos Coruchéus em Alvalade, da Biblioteca David Mourão-Ferreira no Parque das Nações à Biblioteca Palácio das Galveias no Campo Pequeno, da Biblioteca da Penha de França a minutos da Paiva Couceiro à Biblioteca de Belém com vista para o rio, há em Lisboa uma biblioteca em cada esquina.

É como se de um esforço dividido se tratasse, para dar a todos os lisboetas, turistas e imigrantes um espaço de silêncio, cultura e reflexão. A rede das Bibliotecas Municipais de Lisboa (BLX) distribui ainda espaços de especialidade, como a Bedeteca na Biblioteca dos Olivais que reúne toda uma colecção de BD nacional e internacional desde os anos 20, ou a Biblioteca de Ana de Castro Osório na Biblioteca de Belém, uma colecção especializada em feminismo e igualdade de género criada em 2013, graças às doações de várias figuras femininas.

Uma das coisas mais interessantes da BLX é o facto de estar organizada ao ponto de permitir que seja possível requisitar um livro no Lumiar e devolver noutra qualquer biblioteca. Além disso, é de louvar a capacidade de se modernizar com workshops e sessões de cinema, espaços de diálogo sobre actualidade, cultura e literatura, apesar dos espaços por vezes desertificados pelo silêncio em desuso.

Por outro lado, se é verdade que basta entrar para usufruir do espaço de cada biblioteca, aconselho a consultar com antecedência o horário de cada local. Porque nem tudo são flores, as bibliotecas revezam-se muitas vezes nos horários e é possível que se encontrem portas fechadas em plena semana. Este será talvez um dos piores aspectos da rede de bibliotecas: horários instáveis que encerram cedo.

Ainda assim, se há algo que pode vir a justificar um horário mais alargado será o número de pessoas que frequenta as bibliotecas de Lisboa e acredita na sua importância. Fazer o cartão da rede BLX é rápido, gratuito e dá permite a requisição em todos os espaços, com o único inconveniente de ser necessário um comprovativo de residência na cidade.

Sempre que te apetecer virar uma esquina diferente, aproveita e conhece a biblioteca do bairro. Aqui podes encontrar informação sobre toda a rede.

Photo Credits: https://workfrom.co/biblioteca-de-belem

 

Sobre autor

Your email address will not be published. Required fields are marked O teu endereço de email não vai ser publicado. Campos obrigatórios estão marcados.*