Farfetch dá 60 mil euros às melhores ideias para revolucionar o retalho

Farfetch dá 60 mil euros às melhores ideias para revolucionar o retalho

Artigo original por: Observador

O F-Tech Open quer saber como é que a realidade virtual e a aumentada podem transformar a forma como as pessoas compram online e offline. Os três vencedores do desafio recebem 60 mil euros.

A Farfetch anda à procura de ideias que respondam ao desafios que o retalho enfrenta no futuro. A plataforma de comércio de moda de luxo liderada por José Neves lança esta terça-feira o F-Tech Open: uma competição de ideias sobre como é que a realidade virtual e a aumentada podem transformar a forma como as pessoas compram online e offline.Os três vencedores recebem, no total 60 mil euros de prémio: o primeiro recebe 30 mil, o segundo 20 mil e o terceiro 10 mil.

“Esta é uma oportunidade única, em que a Farfetch convida talentos externos a participarem na revolução tecnológica que estamos a introduzir no retalho online e offline”, afirmou Cipriano Sousa, responsável pelo departamento tecnológico daquela que é a única empresa unicórnio (avaliada em mais de mil milhões de dólares) de origem portuguesa.

A competição vai decorrer nas instalações da empresa em Lisboa e as candidaturas já estão abertas. Se a candidatura for aceite, os participantes estão aptos a iniciar o projeto, acompanhados pelas equipas internas da Farfetch. “Neste projeto, mais do que o valor dos prémios que atribuiremos às melhores soluções apresentadas, estamos a investir o nosso know-how e a criar oportunidades para os participantes nos acompanharem no desenvolvimento tecnológico e crescerem connosco”, afirmou Cipriano Sousa.

A Farfetch anunciou em abril a sua Loja do Futuro – uma junção da plataforma online com uma loja física, focada na personalização para cada cliente. Agora, quer abrir as portas do recém-inaugurado escritório lisboeta a quem tenha ideias para revolucionar o retalho. Os projetos vão ser orientados pelos profissionais da empresa e utilizando a tecnologia da Farfetch.

Os cinco projetos finalistas vão ser avaliados por um júri que incluí pessoas externas à empresa interna, mas também o presidente José Neves, o responsável tecnológico Cipriano SOusao diretor-geral em Portugal Luís Teixeira e Ephraim Luft, responsável pelo produto.

Em junho, a Sky News avançou que a Farfetch estará a preparar a sua entrada na bolsa nova-iorquina, podendo valer 4,5 mil milhões de euros. Aidna nesse mês, a empresa luso-britânica anunciou um investimento de 356 milhões de euros (397 milhões de dólares) do grupo chinês JD.com investiu para atacar em força o mercado da moda de luxo da China. O objetivo é o de criar a maior plataforma para marcas de luxo na China, mercado avaliado em cerca de 80 mil milhões de dólares.

Em maio, a tecnológica abriu um escritório em Lisboa e anunciou que quer recrutar 500 pessoas em Portugal até ao final do ano. Para o escritório de Lisboa serão 100 colaboradores, os restantes vão distribuir-se entre Porto e Guimarães. Fundada em 2008, a Farfetch agrega mais de 750 designers e boutiques de moda de luxo, em 40 países. Vende para 190 países e tem escritórios em Portugal, Nova Iorque, Los Angeles, São Paulo, Tóquio, Hong Kong, Shanghai e Moscovo, com uma equipa de 1.600 colaboradores.

Fonte Original

Sobre autor

Your email address will not be published. Required fields are marked O teu endereço de email não vai ser publicado. Campos obrigatórios estão marcados.*