SnapCity. Retirar o flirt ao Tinder para ajudar os turistas a viver as cidades

SnapCity. Retirar o flirt ao Tinder para ajudar os turistas a viver as cidades

Artigo original por: Dinheiro Vivo

André Dias e Manuel Figueiredo criaram uma aplicação móvel que ajuda os turistas a conhecerem os lugares mais autênticos de uma cidade.

André Dias é como muitos turistas: de malas às costas e sequioso de conhecer novos destinos, admite ter “pouca paciência para andar com guias atrás”. Não os levou, por isso, em 2016, quando embarcou com um grupo de amigos numa viagem à Ásia.

Mas perante cidades enormes como Banguecoque ou Singapura, ou até locais mais escondidos da China, viu-se obrigado a procurar alternativas. Usou o Tinder – Sim, leu bem, o Tinder.

A aplicação de flirt e encontros, foi o mecanismo utilizado para conhecer pessoas locais a quem foi perguntando o que podia e devia conhecer. “Nunca nos encontrámos fisicamente com ninguém, mas tivemos muita ajuda para conhecer locais diferentes. E usámo-lo para tudo: jantares, passeios, tudo.”

O regresso a Portugal foi elétrico e em menos de um ano tinha um projeto a andar. “Contei a experiência ao Manuel Figueiredo e, como já andávamos a magicar uma revista que pudesse facilitar a vida aos hosts de alojamento local, foi juntar planos.” Estava dado o primeiro passo para a SnapCity, uma app que põe locais a dar indicações e conselhos aos turistas.

O projeto nasceu com um investimento próprio à volta de 25 mil euros e o apoio de três estudantes do Técnico – João André Dias, Jorge Veiga e Miguel Amaral, onde André e Manuel estudaram anos antes. A aplicação está disponível há 15 dias para dispositivos Android e, no último trimestre deste ano, deverá rumar também aos iOS. Nestas primeiras duas semanas soma já 3500 downloads e 850 registos de pessoas que querem juntar-se à lista de especialistas – em Portugal e não só. “O enorme interesse dos locais foi uma surpresa para nós e faz-nos pensar já em escalar a SnapCity para outros países”, conta André Dias.

Para já, a aplicação está disponível para Lisboa e Porto, mas “com alguma facilidade podemos fazer a conversão para outras cidades e países”. As ideias começam a surgir: Roma, Paris, Amesterdão e Londres deverão ser as próximas cidades a receber a app nacional.

O lado técnico da internacionalização “é simples”. Mas a concorrência do TripAdvisor, Booking e Trivago não dá tréguas: “O mais difícil é chegar aos turistas e é para isso que viremos a precisar de investidores.”

O primeiro passo para encontrar novo investimento está marcado para os dias 6, 7, 8 e 9 de novembro, altura em que estarão com mais de 50 mil empreendedores na Web Summit. “É uma oportunidade ótima, até porque muitos estrangeiros também precisam de dicas para se movimentar em Lisboa”.

E há mais. A SnapCity vai integrar o Programa Alpha que dá acesso a horas com investidores, apoio de mentores, workshops e mesas-redondas. Uma montra que também dá direito a espaço de exposição.

Fonte original

Sobre autor

Your email address will not be published. Required fields are marked O teu endereço de email não vai ser publicado. Campos obrigatórios estão marcados.*