Empresas startup criaram cinco mil empregos directos em Lisboa em três anos

Empresas startup criaram cinco mil empregos directos em Lisboa em três anos

Artigo original 14 Maio 2018 por: Sábado

A capital portuguesa conta actualmente com 18 incubadoras de startups, mais de 14 programas de aceleração de empresas e mais de 50 espaços de ‘coworking’.

As ‘startups’ de Lisboa foram responsáveis pela criação de mais de cinco mil empregos directos em três anos, foi esta segunda-feira anunciado pela Câmara Municipal na apresentação da 7.ª Semana do Empreendedorismo, que agora arranca.

Falando esta tarde no salão nobre dos Paços do Concelho, o director municipal de Economia e Inovação da Câmara de Lisboa, Paulo Soeiro de Carvalho, traçou o cenário actual das ‘startups’ na capital, feito a partir da actualização de um inquérito às incubadoras e alguns dos principais espaços de ‘coworking’ da capital.

O último inquérito do género foi realizado em 2016.

Na apresentação, Paulo Carvalho avançou que foram criados “mais de cinco mil empregos, directos, nos últimos três anos”.

O inquérito permitiu também concluir que “existem 500 ‘startups’ nas incubadoras” este ano e que também nos últimos três anos passaram mais de 1.300 empresas pela ‘Startup’ Lisboa.

O director municipal apontou também que, no ano passado, foram criadas “mais de 6.300 empresas” em Lisboa, o valor mais alto da última década e “um acréscimo de 16%” face a 2016″.

“Nasceram quase três vezes mais empresas do que aquelas que morreram”, acrescentou, apontando que um terço destes novos negócios dedicam-se aos sectores do conhecimento e da alta tecnologia.

A capital portuguesa conta actualmente com 18 incubadoras de ‘startups’, mais de 14 programas de aceleração de empresas e mais de 50 espaços de ‘coworking’, foi referido.

Na abertura da cerimónia, o vice-presidente da Câmara, Duarte Cordeiro (PS), responsável pelos pelouros da Economia e Inovação, disse que, “hoje, Lisboa é uma cidade que está a crescer em ritmo acelerado”.

“Falamos de emprego de qualidade. Já não estamos a exportar talento, estamos a reter talento e queremos importar talento” para a cidade, salientou.

Assim, na opinião do autarca, “a ‘Startup’ Lisboa já não é a mesma desde a sua criação”, em 2012.

Duarte Cordeiro avançou também que, no âmbito da empregabilidade, a Câmara de Lisboa “criou um fundo de cinco milhões de euros” destinado a melhorar a “atractividade das universidades e criar incentivos para a transferência de conhecimento e tecnologias” do ensino superior para as empresas.

A par disto, o objectivo do município passa também por “colocar a cidade à disposição da inovação”. Para tal, o futuro passa também por “alargar a área de escritórios” em Lisboa e desenvolver “projectos específicos”, como o Hub Criativo do Beato.

A oferta de escritórios vai passar também por Entrecampos, e o vice-presidente elencou que “dentro de semanas” a Câmara Municipal vai “apresentar o projecto traçado para os terrenos da antiga Feira Popular”, a Operação Integrada de Entrecampos.

A 7.ª edição da Semana do Empreendedorismo, organizada pela Câmara Municipal de Lisboa, arranca hoje e termina na sexta-feira, dia 18 de maio.

De acordo com informação disponibilizada pelo município, a iniciativa vai contar com cerca de 30 eventos espalhados por mais de 20 locais e vai envolver mais de 50 parceiros.

A organização estima que cinco mil pessoas vão participar neste evento, ao longo dos vários dias.

A fechar a cerimónia, a secretária de Estado da Indústria, Ana Lehmann, advogou que o número de empresas criadas em 2017 “mostra bem a vitalidade e dinamismo da cidade”.

Fonte Original

Your email address will not be published. Required fields are marked O teu endereço de email não vai ser publicado. Campos obrigatórios estão marcados.*