Portugal dos pequeninos: sugestões para tirar os miúdos de casa

Portugal dos pequeninos: sugestões para tirar os miúdos de casa

Reveal Writers

Se já não sabe o que fazer para que os seus filhos se desliguem das tecnologias e aproveitem todo um mundo fora de portas, deixamos-lhe um punhado de sugestões que irão fazer as delícias de famílias inteiras, de Norte a Sul do País.

DIVERLANHOSO, Póvoa do Lanhoso

No Norte do país, situa-se aquele que é o maior parque de aventuras da Península Ibérica e um dos maiores da Europa. É impossível que os miúdos – e os graúdos também! – não se divirtam neste local em que as actividades se dividem pelos elementos essenciais: água, terra, ar e fogo. O que cada elemento oferece é uma questão de descobrirem juntos, mas asseguramos que ficar parado não é uma das opções!

WORLD OF DISCOVERIES, Porto

Se acha que o seu filho tem pouco interesse pela História de Portugal, então foi porque nunca o levou a esta experiência interactiva em plena Rua de Miragaia, no Porto. Um museu que é muito mais do que um museu: é uma viagem à época dourada dos descobrimentos portugueses, que passa por todos os os locais onde atracaram as caravelas portuguesas, explica a Conquista de Ceuta e como o Cabo das Tormentas passou a ser o Cabo da Boa Esperança. Vai ser uma lição que o seu filho nunca mais vai esquecer!

MAGIKLAND, Penafiel

Saindo do Porto, vamos até uma terra onde a magia acontece. É esse, aliás, o mote deste parque situado em Penafiel. Dividido em seis áreas temáticas, a diversão multiplica-se em todos eles. Adicione-se piscinas e montanhas russas, escorregas e carrosséis, e tem um resultado mais que positivo de um dia (ou mais) muito bem passado. Desta matemática, os seus filhos gostam de certeza e nem precisa fazer a prova dos 9.

DINOPARQUE, Lourinhã

De todos os parques que lhe falamos neste artigo, este é o mais recente, apesar de ter “habitantes” com milhões de anos. Inaugurado a 9 de fevereiro do corrente ano, o Dino Parque é o maior museu ao ar livre de Portugal, inserido numa área de 10 hectares, que incluem 4 percursos correspondentes a algumas das mais importantes épocas da história da terra: o fim do Paleozóico, o Triásico, o Jurássico e o Cretácico. Sim, Portugal tem, agora, o seu próprio Parque Jurássico: entre neste filme e contracene com os mais famosos dinossauros do mundo, como o Triceratops, o Stegosaurus e o grande Tyrannosaurus Rex, mas também, dinossauros descobertos na Lourinhã (!) como o Torvossauros gurneyiLourinhasauros ou o Supersaurus.

PAVILHÃO DO CONHECIMENTO + OCEANÁRIO, Lisboa

Um sinónimo de dia bem passado em Lisboa é ir com os mais pequenos até ao Parque das Nações e visitar duas das heranças que a Expo ’98 deixou à cidade. O Pavilhão do Conhecimento permite que os miúdos explorem competências e aprendam que a ciência também é divertida, para além de poderem desfrutar das exposições temporárias que por lá assentam arraiais. O Oceanário tornou-se, em 20 anos, num dos ex libris da cidade de Lisboa e não é para menos. Um oceano inteiro que cabe dentro de 20 mil metros quadrados, cerca de 7.500.000 litros de água divididos por mais de 30 aquários e oito mil organismos, entre animais e plantas, de quinhentas espécies diferentes. Todo um mundo azul para descobrir naquele que, no ano passado, foi considerado o melhor Aquário do Mundo.

COOLTURE TOURS, Lisboa

Da próxima vez que ouvir a frase “Ir a museus é uma seca…”, lance a cartada das Coollture Tours. Estas surgiram pela mão de uma historiadora com mais de 10 anos de experiência e que pretendem tornar as visitas a museus mais dinâmicas, mais interactivas, mais… cool. Os pequenos visitantes têm oportunidade de entrar nas histórias da História, através das personagens e das suas encenações teatrais. Garantimos que nunca mais ouvirá aquela frase na vida.

QUINTA DO POMARINHO, Évora

Um dos programas que mais reúne consenso entre os miúdos é um em que haja contacto com animais. Uma visita a uma quinta pedagógica é sempre sinónimo de diversão e alegria. De entre várias opções que existem no país, escolhemos a Quinta do Pomarinho, em Évora, por ser um espaço de integração social de crianças provenientes dos mais diversos quadrantes socioeconómicos, e, inclusivamente, de crianças com paralisia cerebral e outras doenças neurológicas. É notório que o contacto das crianças com animais ajuda ao seu desenvolvimento e as torna mais sociáveis, para além de que a importância dada ao meio ambiente deve ser uma preocupação que deve ser incutida desde tenra idade. As quintas pedagógicas são o melhor local para aprender e a Quinta do Pomarinho faz disso um exemplo perfeito.

BADOCA SAFARI PARK, Santiago do Cacém

E se é de animais que as crianças gostam, não há melhor maneira de os ver que num safari. E nem precisa de ir a África! Basta ir até ao litoral alentejano, ali entre Santiago do Cacém e Sines, e desde zebras, tigres, girafas, gnus, búfalos até a aves exóticas… Vai mesmo parecer que foi até à terra do Rei Leão! Para além do safari, pode ainda fazer rafting africano – sim, o Badoca Park fez “nascer” um rio em pleno Alentejo…! – alimentar os lémures ou ir até à Ilha dos primatas. É, literalmete, o fungagá da bicharada!

Rali dos Parques em PicNic

Abra a janela, verifique se o tempo está bom, e, se sim, desafie os seus filhos a fazerem um picnic. Preparem juntos o farnel com coisas boas e saudáveis (não se esqueça da fruta e palitinhos de cenoura são ótimos substitutos das batatas fritas), lembre-se de jogos da sua infância, daqueles que brincava na rua, para lhes ensinar e partam à descoberta dos parques da (sua) cidade. É um ótimo programa de fim-de-semana, que não se esgota num só, e vai ver que vão descobrir jardins lindíssimos e divertir-se como se não houvesse amanhã.

 

Photo Credits: COOLture Tours

Sobre autor

Tatiana Mota

Nascida em Lisboa, criada em Lisboa, vida em Lisboa. Lisboa corre-me nas veias desde 1983. Apesar de ser licenciada em Direito pela Faculdade de Direito de... Lisboa, o gosto pela escrita sempre foi maior que o amor pela leitura dos calhamaços. O Direito já lá vai, mas a vontade de escrever e, sobretudo, de dar a conhecer o que há de novo e de melhor na minha cidade, está sempre comigo. Não consigo viver sem arte: música, cinema, teatro, exposições... tudo o que provoca emoções, reações, sensações! Peço perdão pelo excesso de aliteração, mas rimar com (figura de) estilo está-me no coração. Ou não fosse eu devota de Santo António de... Lisboa.

Comentários
  • Marta Azevedo#1

    Março 14, 2018

    Rali dos parques!!! Que bela sugestão! Aliás… várias belas sugestões!

    Responder

Your email address will not be published. Required fields are marked O teu endereço de email não vai ser publicado. Campos obrigatórios estão marcados.*