Portugueses da Hype Labs põem dispositivos da Ericsson a comunicar sem rede

Portugueses da Hype Labs põem dispositivos da Ericsson a comunicar sem rede

Artigo original 26 Junho 2018 por: Dinheiro Vivo

Startup do Porto vai criar novas tecnologias IoT para uma das maiores empresas de telecomunicações do mundo.

É como uma parceria entre David e Golias. A startup portuguesa Hype Labs vai colocar os dispositivos dos suecos da Ericsson a comunicar uns com os outros mesmo que não haja rede. O anúncio foi feito esta terça-feira em Aachen, na Alemanha, no dia da inovação da empresa escandinava.

A comunicação entre dispositivos é possível graças ao software Hype SDK, que está assente em tecnologia IoT (Internet das Coisas) desenvolvida pela startup portuguesa fundada por Carlos Lei Santos e André Francisco em 2015.

A parceria com a empresa sueca também irá servir para “colaborar e criar soluções inovadoras em conjunto, no sentido de desenvolver uma rede mesh, que permite a comunicação sem a utilização de internet e de integrar a sua tecnologia em novos produtos”, refere a empresa em nota enviada às redações esta terça-feira.

A solução portuguesa foi apresentada perante empresas de referência na área das telecomunicações como a Vodafone e a Deutsche Telekom.

Em novembro de 2016, Carlos Lei Santos explicou como funciona esta tecnologia, partindo do exemplo do telemóvel. “Temos a antena LTE, wi-fi, bluetooth e o microfone. Cada uma é um canal de transporte. O que fizemos foi um algoritmo que identifica quais são essas tecnologias e que escolhe, em tempo real, qual ou quais as melhores para comunicar.”

Numa situação limite, e mesmo sem haver rede exterior, há a rede mesh, uma rede própria. A tecnologia é aplicada a todo o tipo de objetos e a qualquer sistema operativo. Se uma pessoa entrar numa sala, por exemplo, a televisão reage por causa da antena sem fios incorporada.

Sedeada no UPTEC – Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto, a Hype Labs já obteve financiamento junto de investidores como a T Mobile, Caixa Capital, Novabase Capital e Mustard Seed, embora por valor por não determinado.

Fonte Original

Your email address will not be published. Required fields are marked O teu endereço de email não vai ser publicado. Campos obrigatórios estão marcados.*